14 de dezembro de 2015

Carta Aberta para Soraya, II



Rio, 10 de dezembro de 2015.

Soraya, escrevo essa carta uns três ou quatro dias antes de, enfim, oficializar nosso noivado. Logo, confesso que ainda não sei quando exatamente ou como te fiz esse convite rumo a viagem de ter paciência de me aguentar o resto da vida ao seu lado, mas uma coisa é certa, você é mulher da minha vida.
Como eu já te disse, demorei para perceber que você era essa pessoa. Mesmo que eu sempre tenha nutrido enorme apreço por sua amizade desde que nos conhecemos, nunca imaginaria que hoje estaríamos pensando em casamento. Mas o tempo é sábio: ele dificilmente revela as coisas de imediato. É preciso, muitas vezes, ter paciência para saber o que nos espera. E tive paciência em esperar "no que isso ia dar". Mas só tive paciência porque sua dedicação, seu carinho, seu respeito por mim foram de outro mundo. De nada adiantaria nós dois embarcarmos em um relacionamento sem, necessariamente, querer estar nele. E confesso que durante certo tempo era você que mostrava que "queria mais" do que eu, já que eu, até certa época, "só" queria. Só depois daquele episódio em que eu te pedi um tempo e quase sumi da sua vida (sim, juro com todas as forças, a minha motivação para isso foi única e exclusivamente uma "síndrome de vira-latas", pois eu achava que eu era "pouco" para você, veja só) e que você, mesmo estando muito chateada comigo, me mostrou que não era dessa forma, ou seja, de que você se sentia amada, protegida, envaidecida ao meu lado. Que não tinha o porquê de eu achar que eu era "pouco" para você. Mesmo me dando uma bronca homérica, você deu uma demonstração de maturidade que vi poucas vezes na minha vida. Se antes desse desentendimento eu já te admirava imensamente, depois dele eu vi que, se eu me acho, sem falsa modéstia, uma pessoa extraordinária (mais "ordinária" do que "extra", mas não é isso que estamos discutindo aqui), que eu também tinha o direito de me cercar de pessoas extraordinárias, a começar por você.
Poucas vezes na vida encontrei uma pessoa que me completasse tanto. Talvez um ou dois dos meus melhores amigos cheguem nesse nível. Mas, mesmo sendo simpatizante da causa LGBT, eles não fazem meu estilo pelo fato de eu ser heterossexual e porque também acho você bem mais bonita (e cada vez mais bonita, diga-se de passagem!) e bem mais cheirosa do que eles. Você é mais do que o amor da minha vida, você é minha amiga, conselheira, professora (já aprendi várias coisas de Biologia com você que fico igual papagaio repetindo por aí quando tenho oportunidade), até mesmo minha técnica em eletrônica, contadora e gerente de banco particular. Não é pouca coisa. E espero que eu seja uma pessoa que te completa tanto como você me completa. Até porque, vivemos em tempos em que as pessoas estão mais preocupadas em fazer de seus relacionamentos mais de um status nas redes sociais do que uma oportunidade em crescer como pessoa ou de compartilhar (veja bem, compartilhar não apenas nas redes sociais, e sim pessoalmente!) coisas boas. De nada adianta eu propagar aos quatro cantos que te amo se isso serve mais como uma afirmação para os outros do que para mim e para a outra pessoa que me interessa. E não preciso, nem me sinto por você pressionado, a fazer esse tipo de sandice dia sim, o outro também. Mas essa carta aberta é uma "sandice do bem", que só fiz porque achava extremamente necessário. Não posso tratar meu amor por você como pingente, como muitos fazem, pois ele é joia preciosa que fica guardada aqui no meu coração e que só mostro em ocasiões especiais como essa.
E admito que não sou um primor em expressar meus sentimentos com gestos ou atitudes, ou seja, sem palavras, e que preciso muito delas para que as pessoas saibam o que penso, o que sinto. Mas minha timidez me trava quando preciso expressar em palavras faladas essas coisas. Por isso sempre recorri às palavras escritas, porque acho que me dou melhor com elas. E hoje não está sendo diferente, pois provavelmente, no máximo, te perguntei se você quer casar comigo, mesmo tendo pensado nos discursos mais mirabolantes e nas maneiras mais incríveis de te fazer esse pedido nos últimos meses. Sim, MESES. A única coisa que eu estava esperando ao longo desse ano todo era te pedir em casamento no dia do seu aniversário (ou bem próximo dele). Mas até agora não sei que palavras usar para fazer isso. Então se você achar o pedido meio tímido, espero que esta carta equilibre um pouco as coisas.
Mesmo sem ser um homem religioso, agradeço todo dia ao levantar e todo dia antes de dormir por ter o privilégio de você ter me escolhido para compartilhar essa nova caminhada em nossas vidas. E, para terminar, acho muito clichê terminar essa carta com um "eu te amo". Queria terminar de forma triunfal, de maneira que você visse fogos de artifício ao terminá-la, de tão bem fechada que ela foi. Mas quem gosta de ficar inventando toda hora é músico experimental, cientista maluco, cineasta independente ou esses zagueiros dessa geração 7 a 1 que ficam mais preocupados em "postar foto no Insta" do que jogar a bola pro mato e fazer cara feia pra atacante abusado. Sou apenas um cara que quis expressar sua felicidade por ter certeza que encontrou a pessoa certa para compartilhar essa caminhada que se inicia agora, chamada casamento. Então, Soraya, minha querida, EU TE AMO. MUITO. MAIS DO QUE IMAGINO.
Um beijo (de cinema, para terminar com chave de ouro!).

3 comentários:

Felipe Portella disse...

Que a Felicidades de voces , vire Rotina e que sirva de inspiração pra todos "
"nois"

Fernanda Pereira Couto dos Santos disse...

Muitas felicidades! Que Carta Aberta mais linda, Flávio...Se eu fiquei emocionada... imagina minha "Anjinha"!!! Sim, minha anjinha... Assi. Que me refiro à sua noiva há anos... e continue uivando muito bem dela... Sossô, continue cuidando bem dele! Que a amizade, o respwito e o AMOR sempre prevaleçam... assim os dias felizes serão incontáveis e os difíceis apenas passageiros! Deus os abençoe e guarde e que a Sagrada Família seja o maior exemplo dessa família que se inicia. Beijossssss

Susan Barbosa disse...

Gente do Céu, que coisa linda!
Parabéns pelas palavras que sei refletem o sentimento!
Muito amor e felicidade para vocês!
=*

Creative Commons License
Um Blog de Nada by Flavio Braga Mota is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License.
Based on a work at umblogdenada.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://umblogdenada.blogspot.com.